Diário de Maria

O Apartamento IV

março 05, 2012Ricardo Santo

 Imagem roubada daqui vale a pena visitar


              O Apartamento ---- O Apartamento II --- O Apartamento III


Maria deixou-se afundar sobre o peito quente do estranho, deslizando o corpo, adorava aquele pequeno momento em que se aninhava e sentia o impacto profundo, as ondas de prazer a inundarem o seu interior graças ao orgasmo recente. Na boca provava o sabor agridoce do líquido do pecado, deliciava-se por mais uma vez o consumir após tanto tempo de ausência, era tão seu que não se fez rogada sorvendo o pouco sémen que ainda escorria pela pulseira Pandora, bad girl. A sua respiração acalmava aos poucos, o coração outrora palpitante regressava à normalidade depois de levado à exaustão, sentiu os braços fortes e quentes do estranho a envolverem-na, abraçando-a naquele amanhecer de domingo, o simples roçar de pele envolvia os seus sentidos, adorava aquele pequeno mimo. Sentia as mãos doridas da recente força aplicada nos ferros da cabeceira da cama, não se importava, eram dores de extremo prazer. A chuva continuava a bater fortemente nos estores ameaçando diluvio para o resto do dia na capital, o par deixou-se ficar alguns minutos na tranquilidade do silêncio, abraçados num ritual sensual, somente sentindo a respiração um do outro, mereciam a união… A tranquilidade do momento foi alterada com um miar, seguido de outro e mais outro, a gata arisca rondava a cama, miando, pedindo atenção ao dono. O estranho abandonou a cama percorrendo o longo corredor do apartamento rumo à cozinha para alimentar a felina. Maria aproveitou para se espreguiçar e também ela se levantar, sentindo de imediato um arrepio de frio que lhe desceu pela espinha consequência do arrefecimento do corpo, vestiu o casaco de malha branco que descansava sobre a velha poltrona e passou os olhos pelos livros empilhados e amontoados ao canto, pela camada de poeira acumulada há muito que não eram lidos. Com um pequeno gesto rodou o mecanismo do seu lado direito abrindo ligeiramente os estores, franzi-o os olhos com a súbita claridade, a água escorria e batia agora com mais intensidade sobre o vidro. Debruçou-se sobre a poltrona, subindo e espreitando para a avenida, não se via vivalma no bairro de Alvalade, estava uma manhã horrível para estar fora de casa. Pelas suas coxas escorriam pequenos fios de líquido ainda quente, restos da recente luxuria com o estranho, não se deu ao trabalho de limpar, continuava a prazer nos pequenos detalhes.

Maria sentiu as mãos fortes do estranho a envolverem as suas nádegas, acariciando-as sabiamente. Debruçada sobre a poltrona ergueu o seu corpo sensual com delicadeza ao sentir o toque tentador, empinando o rabo para ser acariciado. Olhou de esguelha sorrateiramente observando a expressão do parceiro que sorria ligeiramente, sedento e com olhar fixo na oferta à sua frente. Ergue-o o casaco sobre as costas, passou ambas as mãos pelas nádegas, deslizando suavemente os dedos, absorvendo a sua voluptuosidade, ainda era possível notar a marca do curto biquíni usado no verão passado, dedilhou pelo interior das pernas, descendo das coxas até aos calcanhares, o ligeiro movimento fez Maria estremecer intensamente, contorcendo-se e apoiando-se melhor na poltrona. Tacteou o interior das pernas húmidas por algum tempo, em suaves exercícios ascendentes e descendentes, ligeiras alterações de sentido, arrepiando cada pêlo à sua passagem, voltando a incendiar o lume naquele corpo luxurioso. Levou a mão direita ao sexo, encharcado de tanto devaneio contido, levou dois dedos à boca e provou o néctar com deleite, adorava sentir aquele sabor na boca, só o cheio intenso o deixava desnorteado de desejo. Avançou com ambas as mãos afastando ligeiramente as nádegas, assaltando em seguida o sexo com os lábios, sorveu novamente o néctar que já escorria, perdeu a sua língua bem no interior à medida que a companheira agitava as ancas, saboreava novamente aquele recanto com mestria e dedicação, aprimorando cada lábio externo até à entrada, brincando com a ponta da língua na pequena saliência que a antecedia, penetrou em seguida com a sua língua bem espetada, entrou, saiu, entrou novamente bem fundo no interior fazendo Maria contorcer-se na poltrona enquanto gemia baixinho. Recatou-se por alguns momentos naquele vai-e-vem delicioso, colocando lenha no lume, ateando o fogo da paixão. Ergue-o a boca saboreando com a ponta da língua a pequena parede que divide os dois buracos até atingir o ânus, absorveu o seu ardor, estava completamente húmido. Fez alguma força com as mãos, abrindo mais as nádegas de forma a explorar o local de forma mais confortável. Saboreou aquele recanto paulatinamente e com dedicação num jogo de língua intenso, procurando oferecer o máximo de prazer à sua parceira que tremia de excitação a cada nova passagem de língua. Aquele momento recordou-lhe o fantástico orgasmo que tinha oferecido a Rita no Hotel. Maria não se aguentava mais naquela posição, as pernas já não lhe respondiam de tanta vibração, sentiu-se obrigada a apoiar a cabeça entre os braços na poltrona, desejava urgentemente sentir o forte membro dentro de si.

O estranho ergueu-se e massajou o seu sexo com algumas estocadas com a mão direita, ainda estava meio húmido mas resolveu colocar alguma saliva adicional na ponta do membro teso, encostou a ponta à entrada do ânus da companheira, estava deliciosamente excitado, uma tesão suprema que lhe enrijava o sexo até à cabeça, sentia uma necessidade voraz de comer aquele apetitoso rabo. Aconchegou a ponta açoitando ao de leve uma das nádegas direccionado depois à entrada, com um ligeiro esforço sentiu a ponta do seu sexo a desaparecer entre o buraco húmido enquanto Maria gemia de quatro na poltrona. Esperou um pouco antes de avançar certificando-se que não magoava a parceira, a resposta veio em seguida quando a própria movimentou delicadamente o corpo absorvendo mais um pouco do seu sexo no interior. Apoiou ambas as mãos nas ancas, puxando-as pouco a pouco para si, penetrando mais, mais e mais fundo, sentindo o roçar do seu membro no apertado buraco delicioso, forçou mais um pouco ignorando os pequenos gritos abafados que saiam da boca de Maria. Iniciou o habitual vai-e-vem ritmado, lento de início, acelerando ao compasso e desejo da parceira que cravava as unhas na poltrona fazendo levantar pequeno pedaços de pó. Recreava-se a cada nova estocada que o invadia de prazer, os movimentos de ancas, as mãos trabalhando em harmonia no balançar dos corpos, penetrava a seu belo prazer aquele gostoso pedaço de luxúria. Mantendo um ritmo pujante agarrou o cabelo longo da companheira na mão direita, Maria gemeu e praguejou ao sentir-se desflorada daquela maneira, sentia o corpo em chamas, invadida pelo diabo que lhe torrava as entranhas, o seu ânus explodia a cada penetração vigorosa e quase se veio quando o estranho lhe puxou os cabelos pretos com força obrigando-a a erguer-se. Guinchou audivelmente ao sentir o excitado mamilo esquerdo trespassado com uma força do outro mundo, excitou-a ainda mais levando a que aumentasse a velocidade das penetrações no seu rabo, adorava ser comida de quatro, era seguramente a sua posição favorita. Sentiu a sua mama esquerda toda entranhada na mão do parceiro, sendo apertada e massajada com sabedoria até que esta lhe subiu pelo pescoço apertando-lhe o rosto que se contorcia de satisfação, melhor seria impossível e somente conseguia suster o orgasmo graças às mordidelas que dava no lábio inferior. O estranho estava totalmente a arder, escorrendo gotas de suor pelo peito musculado, estocava com prazer aquele buraco agora ligeiramente mais largo, sentindo uma força vigorosa, virou o rosto da parceira obrigando-a a olhar para si, observando o seu desejo em a penetrar por trás, olho bem fundo nos seus olhos castanhos, comendo-lhe a mente. Aumentava no seu interior a conhecida sensação de prazer tal como tinha acontecido no Health Club com Xana, começando a incendiar-lhe as veias, percorrendo todo o corpo em sobressalto, também ele gemia baixinho, cerrava os dentes e contraia os músculos para penetrar com intensidade. Não ia aguentar muito mais tempo, a tesão aumentava a cada segundo passado dentro daquele apertado local, aumentou os movimentos nas ancas, estocando cada vez mais fundo, mais e mais… ouvia Maria a contorcer-se, com a respiração totalmente perdida e ofegante, salivava-se pelo rosto, quase soluçando, pedindo-lhe que não parasse agora, que a fizesse atingir o orgasmo. Estremeceu totalmente por dentro, não conseguindo mais conter a excitação, dobrou os dedos dos pés, deu uma estocada final violenta vindo-se em seguida, ao mesmo tempo que Maria cambaleava para a frente com a cabeça apoiada nos braços que cederam, as suas nádegas tremiam de prazer no mesmo movimento das pernas arqueadas que oscilavam descontroladamente, tinha-se vindo juntamente com ele. O estranho deixou-se ficar mais um pouco naquele vai-e-vem, penetrando cada vez mais lentamente até que retirou com jeito o sexo do interior do ânus, Mal saiu a ponta, escorreu parte do seu leite quente para fora, acompanhando a saída do membro pujante. Era perfeitamente visível o buraco que tinha ficado, expelia sémen por todo o lado começando a escorrer pelas pernas e sobre a velha poltrona.

Maria sentiu o seu corpo a despertar aos poucos, alguém a abanava fazendo-a regressar à vida. Abriu ligeiramente os olhos erguendo-os, na sua frente uma caricata figura de idade e cabelos brancos praguejava frases sem nexo. Tentou-se concentrar nas palavras ao mesmo tempo que tentava identificar onde se encontrava. Arrepiou-se ao sentir o frio da manhã, apertou o casaco colocando os braços junto ao peito, a idosa balburdiava perguntava vezes sem conta, o que fazia naquele local? Esperava alguém? Quem era a menina? Maria não conseguia raciocinar em condições e tinha dificuldades em sentir a noção da realidade. Tinha esperado a noite toda junto à porta do estranho? Então ele não tinha chegado? A idosa subiu as escadas rumo ao seu apartamento deixando-a plantada no patamar, afinal de contas tudo não tinha passado de um sonho…
Fim

Prólogo Próximo Conto: Maria sentiu a primeira gota bem no meio do seu peito volumoso, seguida de uma segunda e mais outra fazendo-a contorcer-se instantaneamente e gemer de forma audível. Tinha a visão completamente obstruída pela venda que lhe tinha sido imposta e rapidamente experimentou a sensação de um fio quente de vela derretida a escorrer lentamente pelo seu sensual corpo, nova contração inesperada, um rasgar interno, misturando dor e prazer, uma dupla sensação que lhe elevou os sentidos...

You Might Also Like

35 comentários

  1. Saudades..de TE ler..

    Voltaste..com tudo..

    Espero que não desapareças..

    Beijos..saudosos

    ResponderEliminar
  2. maravilhoso este estranho. bem bom se toda maria tivesse um estranho, mesmo em sonho, na sua vida. muito gostoso de te ler. já virei fã tua santo diabinho.
    core

    ResponderEliminar
  3. esqueci um ps.: adorei a trilha sonora.
    beijos
    core

    ResponderEliminar
  4. Um texto que nos deixa sem dúvida com água na boca. Divinamente escrito.

    Beijos

    ResponderEliminar
  5. Black Angel

    Voltei de facto à escrita e a este pequeno canto mas... nunca estive de facto afastado, andei assim pela sombra...

    Por quanto tempo ficarei desta vez? Não sei, pode ser pouco, pode ser muito, depende de uma série de factores, alguns deles não são controlados por mim. Também espero não desaparecer...

    Espero que tenhas gostado do final do conto.
    Beijo

    ResponderEliminar
  6. Core

    Bem-vinda de volta a este pequeno canto. Na nossa vida todos merecemos uma Maria ou um Estranho para nos envolver. Eles existem em cada esquina, em cada rua, basta saber procurar nos locais correctos, nada é impossível de encontrar.

    Fico contente que te identifiques com a minha escrita e obrigado pelas palavras quentes. A trilha sonora chama-se "Angel" e é da banda "Massive Attack".

    Espero-te de volta par ao próximo conto...
    Beijo

    ResponderEliminar
  7. DoiSaboresELA

    Obrigado pelas palavras quentes à minha escrita, água na boca é algo que os leitores devem sentir sempre que por aqui passam, o intuito do blog é mesmo esse, fazer o leitor entrar na escrita, perder-se nas palavras e deliciar-se com a viagem...

    Espero-te de volta para o próximo
    Beijo

    ResponderEliminar
  8. E como adoras andar pela sombra..;)

    Gostei do final sim..mas adorei uns certos pormenores lá pelo meio :) :)

    **

    ResponderEliminar
  9. Meu Deus!
    Não devia ter feito a minha ronda pelos blogs a esta hora.
    É meio-dia e fiquei muito, muito quente.
    Aquela também a minha posição favorita e o final surpreendeu-me.
    Obrigada.
    Ana

    http://er0tika69.blogspot.com

    ResponderEliminar
  10. Gostei do teu regresso. Há quem deixe mistérios de saudade...

    Excelente escrita, muito do meu agrado.
    Parabéns
    Beijo
    TE

    ResponderEliminar
  11. Existem sonhos que valem a pena concretizar, de facto!


    beijos

    ResponderEliminar
  12. Muito bom regresso sem duvida e essa Maria merecia um estranho assim
    Tenho mais uma aventura relatada no meu blog. Passem lá e comentem.
    e abraços charmosos

    ResponderEliminar
  13. Que sonho perfeito...! As tuas palavras mexeram comigo, com a minha mente, com o meu corpo, de uma maneira indescritível...Deixaste-me no ponto, ou até mais que isso, nem sei...
    Perdi-me na tua e na minha imaginação.

    Fiquei fã ;)

    Beijo *

    ResponderEliminar
  14. Tu escreves como ninguém. Sinto-te falta...


    Beijos.Me

    .
    .
    .
    .
    .
    .

    ResponderEliminar
  15. Sexy Couple

    Bem-vinda a este pequeno espaço. Ainda bem que te identificaste com este canto, é sinal que a minha escrita conseguiu o efeito pretendido desse lado :)

    Espero que tenhas gostado da excitante viagem e aguardo-te de regresso para a próxima aventura.
    Beijos

    ResponderEliminar
  16. Bianca

    Welcome back
    Os mistérios fazem parte deste pequeno espaço, são uma das fontes de alimento do mesmo ;)
    A saudade de me leres é reciproca na saudade que eu tenho de vos presentear com as minhas palavras.

    Obrigado pelas palavras carinhosas.
    Beijo

    ResponderEliminar
  17. Pearl

    Welcome
    A realidade vem da nossa cabeça e mesmo dentro de um sonho tudo pode parecer bem real, tudo depende do modo em como recebes o impacto. E sim concordo em pleno, mesmo sendo sonho, existem alguns que valem a pena concretizar ;)

    Espero-te de regresso para a próxima aventura.
    Beijo

    ResponderEliminar
  18. MisterCharmoso

    Obrigado pelo comentário. A Maria é de facto uma coisa fora do habitual... Tenho lido os teus textos a espaços quando consigo, mantém essa intensidade que vale a pena ;)

    Abraço

    ResponderEliminar
  19. O Sussurrar do Corpo

    Welcome Back
    Obrigado pelo comentário e pelo elogio, fico contente que tenhas gostado do conto :)
    Adoro esse sussurro e espero te-lo de volta em breve a quando da próxima aventura de Maria.

    Beijos

    ResponderEliminar
  20. Secret Me

    Bem-vinda a este pequeno espaço. Espero que te identifiques com o que por aqui podes encontrar. Fico deliciado com esse feedback, o intuito do blog e dos textos é mesmo esse, tocar no leitor, fazê-lo percorrer a viagem das personagens e sentirem na mente e no corpo o impacto das palavras.

    Espero-te de volta para o próximo conto.
    Beijos

    ResponderEliminar
  21. M.

    Bem-vinda de volta ao meu espaço. Obrigado pelo carinhoso comentário, exagerado mas gostei :)
    Vou "tentar" escrever com mais regularidade e não desaparecer tão depressa.

    Espero-te de volta para o próximo conto ;)
    Beijo

    ResponderEliminar
  22. Intenso o teu texto...
    A Maria realizou mais uma fantasia, muitas mais virão, aguardo com curiosidade.

    ResponderEliminar
  23. AC

    Bem-vinda de volta.
    Obrigado pelas palavras, como sabes tento sempre colocar intensidade em cada conto escrito. Muitas outras fantasias estão à espera de ser reveladas basta somente haver tempo e disponibilidade para as soltar...
    ;)

    Beijo

    ResponderEliminar
  24. Uma Maria repleta de desejos, sentires, sonhos e... Par perfeito para um perfeito Estranho.

    Delicio-me cada vez que te leio, um verdadeiro deleite mental... Calmamente espero pelo próximo Scrable sensual!

    Beijo.Te

    ResponderEliminar
  25. gente do céu, sempre q venho a esse blog fico arrepiada e "otras cositas mas", kkkkkkkk

    ResponderEliminar
  26. Já tinha vindo aqui ler o final do teu conto, da Maria e do estranho... diria que foste exímio nos pormenores, no evoluir da emoção, no que já um dia penso ter escrito aqui (ou algo parecido), este foi um sonho transformado em orgasmo mental... onde a imaginação voa, onde essa Maria me faz vestir a pele... o final, ao contrário do que se calhar se poderia estar à espera, faz uma travagem brusca nos sentidos, mas gostei!





    Beijos

    ResponderEliminar
  27. Libertya

    Bem-vinda de volta a este espaço de pecado onde a luxuria e deleite mental fazem parte. O jogo de sedução entre o par faz as delicias dos leitores. A viagem é tudo, o mergulhar nas palavras e receber as emoções... na mente... no corpo...

    Aguardo pelo teu regresso...
    Beijo

    ResponderEliminar
  28. bell

    Bem-vinda ao meu espaço. Fico contente por te teres identificado com os textos que encontras por aqui. O receber sensações pelo corpo já faz parte, é sinal que fizeste uma boa viagem pela leitura do conto.

    Espero-te de volta para o próximo...
    Beijos

    ResponderEliminar
  29. Me

    Gosto de te ter pelo meu canto, passeando nas minhas palavras, recebendo os orgasmos psicológicos a que sujeito os leitores cada vez que me visitam. A entrega do leitor ás palavras e a viagem que aceita realizar é tudo o que faz este blog existir.

    O final estava planeado desde o início, alteração inesperada, travagem brusca alterando o rumo habitual da história. Abrindo assim caminho para outras tantas aventuras...

    Espero-te de regresso...
    Beijo

    ResponderEliminar
  30. Condesso que já tinhas saudades de te ler meu caro Diabinho!
    E mais saudades ainda, de te comentar!
    Esta Maria está cada vez melhor! Cada história ou continuação dela é uma orgasmo mental (e não só) que me dás :)
    Devoro cada palavra tua neste sem fim de emoções e sensações: um total deleite à minha alma!

    Besos calientes

    (PS-sabes bem onde me encontrar!)

    ResponderEliminar
  31. Simplesmente S*

    Bem-vida de volta a este pequeno espaço de pecado. Confesso que também sentia saudades destas tuas passagens pelas aventuras de Maria. Sempre gostaste de mergulhar nas minhas palavras, receber as emoções e sensações da leitura :)
    Essa tua entrega é fantástica...

    Espero-te de regresso
    Beijo

    ResponderEliminar
  32. Finalmente tirei um tempinho para vir aqui ler-te... sonho?!?!?!? Que treta... ainda cheguei a pensar que as nossas trocas de ideias poderiam dar frutos... Boa sorte a tentar "entrar na mente" das tuas "fãs"!

    ResponderEliminar
  33. carpe vitam!

    Welcome Back
    Sempre bem-vinda a este meu recanto na blogosfera. Todo o conto foi imaginado para no fim terminar em sonho, resta à tua mente identificar o que é real de todo o acontecimento. As relação entre a Maria e o seu Estranho possui destas reviravoltas deliciosas e inesperadas. Nem toda a história tem de ter lógica.

    Tenho pena de teres achado uma "treta", nem sempre conseguimos agradar aos nossos leitores nem os cativar com a nossa escrita. Desta vez a tua mente não foi estimulada, talvez duma próxima vez ;)

    Beijo-te

    ResponderEliminar

Popular Posts

Tumblr

Contact